segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Pelo Sim e pelo Não!!!



Pelo período de reflexão e analise sobre o assunto do momento em Portugal, embora não concorde com a pergunta ( bastante infeliz e mais uma prova que PS com maioria ou minoria é igual por não haver coragem de rever a pergunta de 1998 ) vou votar Sim, porque me inquieta varias questões. Acho que só o Sim poderá dar resposta a:

a) Em caso de vitória do Sim, gostava de saber como se vão comportar socialmente os apoiantes do Não. Vão ficar passivos ou acompanhar com rigor e clareza, as mudanças sociais que decerto irão suceder com a vitória do sim.
b) Como vai a sociedade e o estado, se comportar perante os médicos objectores de consciência que decerto se irão recusar a praticar a IVG. E se estes não serão objectores de consciência nos Hospitais públicos e médicos politicamente correctos nos hospitais ou clínicas privadas.
c) Se a sociedade depois confrontada com a incapacidade dos hospitais públicos, vai submeter à aprovação que a lei passe para as 12 ou 14 semanas, como na grande maioria dos países europeus.
d) Se a sociedade e os defensores da IVG vão também em consciência se permitir votar Sim, também a leis equivalentes no meu entender como será a Eutanásia. Pois se a questão de defender o livre arbítrio e a decisão individual, poderá também ser aplicada a esta decisão de vida terminal.

Se houver evolução na sociedade e resposta clara a estas questões, então votar sim valeu a pena, senão, considero que despenalizar a lei, não acarreta graves problemas para a sociedade porque:

a) Quem preza a vida nunca irá efectuar IVG.
b) Despenalizar será mais uma lei que nunca foi aplicada na sua verdadeira acepção, pois a lei deste país é podre, não resulta, é conflituosa e demasiado ambígua. Todos os dias há arguidos, acusados e postos na lama da opinião pública, mas gente presa para pagar pelo incumprimento de leis, há poucas….

1 comentário:

MRelvas disse...

PELA VIDA HUMANA

Depois do que vi no debate do "prós e contras" na RTP, deixei de ter dúvidas, se alguma vez as tive foi por tentar "respeitar as mulheres", mas não esquecendo o rebento que está dentro... Depois de ver o ar intelectual e de superioridade dos apoiantes do sim. Depois de ouvir falar naquela coisa humana que está dentro em vez de ser humano... perdi as dúvidas. O Egº Fernando Santos tem razão, quando diz só compreender o aborto quando está em risco a vida da mãe, pois é uma vida por outra. Como tal sendo eu um apoiante da vida e ter visto o miserável espectáculo de ontem vou votar NÃO, pelo respeito da VIDA HUMANA. Nenhum ser humano tem o direito de tirar a vida depois dela iniciada. O sim falou nas guerras, em situações de utopia que todos nós gostariamos que não existissem, em crianças que morrem no mundo... mas não seria melhor então enfrentar-mos essas situações em vez de liberalizar o aborto até às 10 semanas?Iremos fazer um aborto às 25 semanas? Então quem o fizer não será penalizado?Uma utopia, uma falta de respeito pelos outros, notando-se a medíocre intelectualidade própria de quem se diz ser contra o aborto, mas a favor da despenalização da mulher... como se isto não fosse ser a favor do aborto. Os complexos da esquerda foram sempre baseados nos números que ninguém entende. O Ser Humano não é um número, é realmente uma vida que gerada merece ver a luz do dia, seja ele com bom tempo ou com mau tempo! Vital Moreira do alto da sua cátedra, parecia que dava uma aula em Coimbra... ele sabe; os outros são ignorantes. Viu-se no passado... Querem alterar o Código Penal? Façam-no em sede própria e não com a benção dos portugueses, fartos de quem fala em liberdade e oprime todos os dias este povo que tem de acordar para lhes dizer NÃO! Basta de travestismo político! Seja de que maneira for! Sem ser contra as mulheres, mas sendo pelas mulheres e por mais uma vida que começou o seu ciclo digo NÃO, vou votar NÃO e apelo a quem tem consciência, a quem teve um aborto indesejável, o aborto "natural" e não premeditado, por situações da vida...que dê o seu testemunho para sempre recordado num sentimento profundo, alicerçado na angústia, quando sentiu fugir-lhe "o seu filho" fruto do seu sangue...Este tema já cansa, mas para que não restem dúvidas digo NÃO à pena de morte do futuro ... não quero o aumento do aborto no nosso país depois da sua total liberalização. Já esta lei contempla o suficiente e até demais! Espero o próximo referendo deste governo-"A eutanásia" e aniquilação da vida depois de chegar a um determinado número de anos. O cinismo é mau, mas mau é aquele que diz ser pela despenalização da mulher esquecendo o SER HUMANO e não "coisa humana" como dizia Lídia Jorge...Fernado Santos, pode peder jogos, eu compreendo, mas não lhe perdoava se fôsse contra a vida. Não basta só dizer que somos pelos direitos dos animais...Sinceramente, basta...digo NÃO com convicção de que só apenas defendo o preceituado na constituição portuguesa, quando esta clama pelos valores universais da vida HUMANA!